Automec aponta caminhos para manter negócios de aftermarket automotivo aquecidos

Por Luiz Bellini e Ricardo Barbosa

0
278

A Automec, maior evento da América Latina para os setores de reposição e reparação para veículos leves, pesados e comerciais, está inserida em um mercado fortemente afetado pela crise atual. Em julho passado, a Reed Exhibitions realizou uma pesquisa com expositores da feira que possuem negócios de aftermarket automotivo além das fronteiras brasileiras. O objetivo foi entender como a crise atual afetou as empresas e, principalmente, quais recursos essas companhias utilizaram para manter o comércio internacional.

De acordo com o report de julho da Bain & Company, o aftermarket automotivo deverá encerrar o ano com um encolhimento de até 30% em relação a 2019. Em relação ao comércio internacional, as exportações e importações no primeiro semestre registraram uma queda de 33,7% e de 28,4%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado, conforme relatório do Sindipeças.   

Numa visão de curto prazo, o mês de junho trouxe luz no fim do túnel. A gradual reabertura dos mercados devido à melhora das condições sanitárias em várias partes do mundo mostrou menor contração das exportações (-37%), em comparação aos dois meses anteriores – com quedas de 57% (abril) e 63% (maio).

Na pesquisa conduzida pela Reed Exhibitions, do total de empresas respondentes, 43% realizam exportações e 27% são importadoras. Uma parte significante delas, 74%, afirmaram atuar com autopeças para veículos comerciais (leves e pesados). O meio de acesso ao comércio internacional mais utilizado pelas empresas participantes da pesquisa é o distribuidor (74%). Em seguida, aparecem representante (54%). Na sequência estão trading company (37%) e agentes locais (32%).

Leia também: Retomada do setor de reparação e manutenção automotiva passa por digitalização

Uma das perguntas mostrou que a participação em feiras é o principal canal de promoção internacional, com 84% de respostas. Em segundo lugar estão as mídias sociais, com cerca de 50%. O cancelamento e/ou adiamento de feiras alterou os planos de promoção e os principais problemas enfrentados em decorrência da pandemia foram:

  • Restrições de viagens para visitar cliente/fornecedor (76%);
  • Queda nas vendas (55%);
  • Fluxo de caixa (24%).

As rodadas digitais de negócios seriam uma boa solução para 69% dos respondentes. Elas seriam, por sua vez, possível ação para a manter contato com clientes, devido às restrições de viagem e à impossibilidade de participação em feiras. Um fator interessante identificado na pesquisa é que as rodadas digitais de negócios aparecem como prioridade também para negociação com clientes nacionais (80%) e não somente internacionais (65%).

Os setores com maior demanda para a realização das rodadas digitais de negócios são Peças e Componentes (89%), Reparação e Manutenção (56%) e Serviços e Tecnologia (33%). A adesão por este tipo de solução é tão interessante que 70% das empresas estão dispostas a participar de até 30 reuniões, desde que durem no máximo 45 minutos cada (75% das respostas).

A pesquisa demonstrou que existe demanda e aderência à oferta de produtos digitais. Com eles, as empresas poderão superar alguns dos desafios comerciais gerados pela pandemia e manter o relacionamento de negócios, tanto no mercado doméstico como internacional. O face-to-face, contudo, continuará sendo crucial para a realização de negócios, tão logo a situação atual seja superada. Isso reforça o conceito da hibridização de ações online e onsite.

A Automec

A estratégia de negócios da Automec, uma das maiores feiras do aftermarket automotivo do mundo, já apontava para esse caminho antes da pandemia. Dessa maneira, o evento oferecerá já na próxima edição opções de negócios focadas nas necessidades dos clientes, patrocinadores, expositores e visitantes.

O maior evento de negócios de autopeças da América Latina será realizado de 06 a 10 de abril, no São Paulo Expo, reunindo as principais marcas de reposição e reparação com soluções para o mercado de veículos leves, pesados e comerciais. A organizadora do evento, a Reed Exhibitions, está presente em 30 países, atuando em 43 diferentes setores da economia. Em todos os seus eventos, recebe um total de 7 milhões de pessoas, gerando bilhões de dólares em oportunidade de negócios para os expositores.

*Luiz Bellini é diretor de portfólio da Reed Exhibitions. Ricardo Barbosa é gerente da Automec

Facebook Comments